quinta-feira, 22 de julho de 2010

Hazrat Inayat Khan - O Poder da Repetição

Por milhares de anos o segredo da repetição tem sido conhecido pelos místicos. Eles descobriram que o maior mistério estava escondido sob a forma da repetição; e a ciência do mantrayoga, por exemplo, foi fundada sobre esse princípio pelos Yogis da Índia, enquanto que os Sufis trabalharam por muito tempo nas terras da Síria, da Palestina e do Egito, com a ciência da repetição de palavras.
O que nos atrai mais é a repetição de toda a experiência que tivemos. Se você tem o hábito de ir ao parque, você talvez tenha feito uma associação com um banquinho ali e você sempre será atraído por ele quando você vai ao parque. Você experimentou o magnetismo do lugar. Pode haver um lugar melhor, mas no lugar que você se sentou uma vez você vai sentar-se novamente, e quanto mais você se sentar ali, mais você será atraído para lá. Assim, há canções simples que você ouviu na sua infância, elas já estão perdidas em sua memória. Você se tornou um grande amante da música, mas quando essa música que você ouviu na sua infância é cantada uma vez, ela traz uma nova alegria e uma vontade de ouvi-la novamente, não se pode compará-la à melhor música do mundo! Há também coisas que a pessoa come ou algum cheiro que ela sente que tem um perfume, e depois de tê-los experimentado uma, duas ou três vezes eles crescem na pessoa. Ela começa a gostar tanto que quem nunca experimentou fica surpreso ao pensar que alegria há em gostar de uma coisa dessas. Esse também é o efeito da repetição.
Amizade, familiaridade, se tornar conhecido de alguém, todos esses são repetições.
Às vezes a pessoa se sente muito desconfortável num trem ao encontrar-se entre pessoas que não conhece, mas depois de tê-los visto por um tempo ela se torna tão habituada à sua presença que isso desperta simpatia nela e ela faz amizades. Dessa forma, a vida inteira está baseada no princípio da repetição. Portanto, as coisas que nos ajudam a sermos iluminados e a alcançarmos a espiritualidade são prescritos pelos sábios para serem repetidas.
É por causa de mal-entendido que na religião protestante as pessoas se prendem a uma sugestão de Cristo contra "vãs repetições”. Mas isso não foi dito contra as repetições, foi contra as repetições vãs. O clero protestante, no entanto, pegou essa idéia e fez dela uma ditado contra a repetição. Assim, em países como a Suíça e outros lugares onde há um espírito calvinista, as pessoas muitas vezes não entendem isso. Ainda assim, toda a vida se baseia na repetição. Mesmo ir à igreja e fazer orações é repetição.
Hoje, nesta era material, uma onda está chegando em que as pessoas estão começando a reconhecer de um ponto de vista psicológico, uma idéia usada por Coué, que, ao repetir: 'Você está bem, você está bem, você está bem', a pessoa fica bem. As pessoas vão para casa com essa idéia sobre a qual os místicos de todas as eras pensaram, e dizem: "De alguma forma é útil”. Quanto mais elas entenderem isso, mais vão descobrir que há muito na repetição, uma vez que a explorarem.
Na Índia havia uma empregada em nossa casa que gostava de cantar uma canção cujas palavras eram: "Como o meu destino mudou hoje”. Durante uma semana ela cantou durante o dia todo e no final, ela caiu da varanda e morreu. O destino mudou para pior.
Havia um imperador mongol, Bahadur Shah, que era um poeta requintado sob o heterônimo de Zafar, era o maior poeta de seu tempo. Ele escrevia poesias tristes e morreu numa tristeza absoluta.
Também posso dizer sobre minha própria experiência: ao viajar na Holanda, fui com um amigo - um homem muito prático e sagaz - almoçar em sua casa de campo. No trem eu contei para ele como uma vez eu tinha perdido minha estação e por isso me afastei do lugar onde eu deveria ter descido. Ao dizer isso, realmente perdemos a nossa estação e em vez de chegar para o almoço, chegamos para o jantar. Isso mostra que tudo o que repetimos tem uma ação psicológica.
Bom presságio e mau presságio também dependem de repetição. Se você conta para uma pessoa sobre um acidente quando ela está entrando em seu automóvel, isso significa que você coloca as rodas do seu carro na rota que leva a um acidente.
Por que o sucesso se repete e por que o fracasso se repete? Há sempre sucesso atrás de sucesso e fracasso atrás de fracasso. Isso também é repetição que forma um ritmo. Não há nada que ajude mais a trazer sucesso do que o sucesso, e uma vez que você fracassou, você fracassará repetidamente. Se eu quisesse aprofundar esse assunto, eu diria que o movimento do mundo é também a repetição da qual um ritmo é formado. O nascer e o pôr do sol, o crescer e o minguar da lua, a mudança das estações, o ritmo que as ondas assumem e a velocidade com que o vento sopra, tudo isso funciona de acordo com a lei da repetição. Sendo que a repetição é um movimento - um movimento móvel, pois vai para a frente – desse modo ela é usada até mesmo pelos místicos como o maior segredo para o progresso espiritual ou o sucesso material.
Há muitas maneiras de concentração, mas a melhor maneira é a repetição de uma palavra. Por exemplo, se a pessoa quer se concentrar no equilíbrio, ela não pode criar uma forma disso diante de sua mente, pois isso é uma abstração. Mas se ela fecha os olhos, separando-se de todas as outras coisas e repete para si mesma: "equilíbrio, equilíbrio, equilíbrio, equilíbrio, equilíbrio”, naturalmente, cada vez que ela repete “equilíbrio” isso cria um retrato em seu interior, uma imagem do equilíbrio, e em tudo o que ela faz ela vê essa imagem refletida. Assim, sua vida torna-se o equilíbrio.
Muitas vezes os pais, não sabendo disso, chamam uma criança de “malcriada”. A criança fica impressionada com isso, ela sabe que ela é malcriada, portanto, continua sendo desobediente. Assim também é com amigos e parentes e com todos aqueles que nos rodeiam. Não sabendo o efeito psicológico de nossa fala, em vez de melhorá-los podemos torná-los piores. Se você diz ao seu parceiro de negócios: "Não é desonesto o que você fez? ', Isso significa que você tornou essa pessoa desonesta. A primeira coisa que ela fez foi menos desonesta, você completou a desonestidade ao dizer isso. Todo tipo de acusação de desonestidade, da falta de gentileza ou de afeição ou de amor, torna assim a pessoa que você acusou. Ignorantes disso, muitas vezes as pessoas se alegram dizendo para as outras, coisas que elas querem ver mudadas nelas. Se você disser a alguém: "você tem sido muito grosseiro comigo', ou "você não foi justo", ou "muito cruel ", você torna a pessoa mais cruel, mais injusta, mais grosseira e a pessoa não pode mudar isso. Teria sido muito melhor não ter dito nada, não ter tentado tornar essa pessoa melhor! Tudo o que você acusa, você piora pela repetição de palavras.
Acusar é dar vida a algo. Se você não tomar conhecimento das coisas, elas morrem porque você não lhes deu vida. Ao notá-las você dá vida a coisas que podem não ser rentáveis para você. Existe o homem simples, o inteligente e o sábio. O simples não vê dentro da natureza humana, o inteligente vê e o que ele vê ele diz, o sábio vê e não diz nada, e é isso que o torna sábio.
No Oriente, eles dão grande consideração aos nomes dados às crianças, aos cavalos, aos animais, porque aquela palavra é repetida tantas vezes e essa repetição traz o mesmo resultado que o nome indica. Quando você dá a uma pessoa o nome de fortuna e ela é sempre chamada assim, ela deve tornar-se afortunada. Por isso não quero dizer que o Sr. Armstrong é sempre um homem forte. Eu só gostaria de dizer que o nome tem um grande efeito pela própria razão de ser repetido.
Existem sábios, aqueles que têm se concentrado e cuja mente é poderosa e, quando dão um certo nome a alguém com um certo significado, esse nome tem um grande efeito. É como dar a vida que há no nome e aquela vida começa a crescer na pessoa; é como plantar uma semente na terra e aquele plantio gerar flores e frutas. O significado que está no nome funciona depois de dias e anos, e produz os resultados mais maravilhosos. A partir do momento em que o nome é dado toda a vida é mudada. Se for dado por uma pessoa com poder e inspiração tem um efeito maravilhoso.
Quanto ao desenvolvimento espiritual, há diversas influências que podem ser consideradas como influências espirituais e precisamos de tais influências nós em nossa vida, tal como a influência da bondade, da compaixão, a influência da providência, da inspiração, da cura, da saúde, da sabedoria, do poder, e assim por diante. Essas sendo influências espirituais, os místicos têm nomes para cada uma dessas influências e eles chamam-lhes de: os nomes sagrados de Deus. Há talvez uma centena de nomes do tipo ou mais, que os místicos usam e cada um desses nomes tem sido praticado por eles durante milhares de anos. O efeito desses nomes, por vezes, funciona maravilhosamente.
Em Hyderabad, certa vez aconteceu que um sábio queria encontrar o rei e não conseguia. O secretário do rei lhe disse: "O rei está muito ocupado para atender a todos que vêm aqui". O sábio disse: "Tudo bem. Como o rei não vai me receber, eu vou receber o rei.” Pela repetição de um determinado nome sagrado em cerca de seis semanas surgiu uma condição que fez o rei ir visitar o sábio.

Eu mesmo vi o seguinte: há apenas alguns meses atrás, aconteceu um caso de um jovem que estava prestes a noivar para se casar com uma princesa. Mas tudo estava em sua mente, fora nada seguia nessa direção. O Estado era contra o noivao, a Igreja era contra, a família era contra e a própria condição financeira do homem era contrária. Portanto, não havia chance de parte alguma. Esse jovem em desespero queria cometer suicídio. Então ele entrou em contato com um professor espiritual e lhe disse: "Não há nenhuma saída no mundo exceto o suicídio". O professor disse: "Há um caminho. Repita esta palavra e tudo ficará bem". Em três meses todas as dificuldades e os problemas desapareceram. Ele alcançou o desejo de seu coração. Não há nada que não possa ser realizado se a pessoa tem fé. Quando a pessoa tomou essa direção, veio a conhecer o benefício que vem da lei da repetição.
Quando uma pessoa repete algo para si mesma, seja uma palavra boa ou uma palavra ruim, qualquer que seja ela, está gravando essa idéia em seu íntimo e essa idéia é refletida no espaço (akaska). Em cada pessoa que ela encontra isso será refletido. Por exemplo, se uma pessoa que repete: "gentileza, gentileza, gentileza”, encontrar o homem mais cruel do mundo, a gentileza que está gravada em seu coração será refletida sobre o homem e esse homem não poderá deixar de agir com gentileza. Além disso, uma pessoa que tenha repetido 'getileza' tantas vezes em sua vida, quem quer que ela encontrar vai dizer: 'Essa é uma pessoa amável", porque ao dizer 'gentileza', ela se tornou gentil.
É claro que a pessoa pode exagerar, pode fazer isso de forma errada e isso deve ser evitado. Ela pode tentar experimentar isso antes de estar madura o suficiente para experimentá-lo. Por exemplo, a pessoa pode ouvir esta palestra e ir até um banco e dizer: "dinheiro, dinheiro, dinheiro, dinheiro, dinheiro", e, em seguida, vir a mim e dizer: "Eu repeti dinheiro milhares de vezes, mas o dinheiro não veio!" Essa pessoa não procedeu corretamente. Além disso, fazer uso de uma coisa tão maravilhosa para a realização de coisas mundanas é muito tolo, porque a vida é uma oportunidade e quando essa oportunidade for perdida, ela será perdida para sempre. Quando usamos este conhecimento para as coisas que não valem a pena, então o tempo é perdido. Por isso, isso só prova valer a pena se for utilizado para a obtenção de conhecimento espiritual. Se usarmos esse segredo para a realização das coisas mundanas, não saberemos se são boas ou ruins para nós. Muitas vezes adoraríamos ter isto ou aquilo, mas se não é bom para nós, podemos muito bem não ter tais coisas. O melhor é o princípio moral que lemos na Bíblia: "Buscai primeiro o reino de Deus, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.”
A fim de buscar o reino de Deus não é necessário abrir mão das coisas do mundo. Quer as tenhamos ou não, a primeira coisa é buscar o reino de Deus. Ouvi muita gente dizer: "Se a minha situação financeira ficar boa pelo resto da minha vida, vou começar a trabalhar em linhas espirituais, se a situação com o dinheiro estiver tudo bem, eu farei isso". Compreendo perfeitamente que é necessário pensar na situação financeira, é razoável que seja assim. Mas, ao mesmo tempo, quando olhamos para a vida que está passando - este momento que temos nunca virá novamente! - Quando pensamos que deixamos passar a nossa vida somente em busca de coisas mundanas, e que esperar antes de olhar para algo maior talvez seja tarde demais. As coisas mundanas duram apenas enquanto a vida do corpo dura: em um momento ela desaparece. Quem sabe para as mãos de quem a riqueza acumulada irá. Ao mesmo tempo, devemos lembrar que Salomão, com toda a sua riqueza não era menos inteligente. Nós não precisamos abandonar todas as coisas; ao buscar a Deus não precisamos perder as coisas da Terra, todas elas seguem. Mas não se deve dizer: "Depois que eu tiver terminado minhas aquisições, então vou seguir o caminho espiritual". Esse é um sonho que pode nunca ser realizado. Se você quer seguir o caminho espiritual, você deve segui-lo agora, neste momento e ao mesmo tempo pensar sobre as obrigações mundanas. Pode-se muito bem ganhar dinheiro e se beneficiar disso e experimentar todo o conforto que estiver disponível. Não importa, contanto que se persiga o caminho espiritual.
Agora você pode perguntar: "De que modo se chega ao conhecimento espiritual através da repetição? É ao repetir o nome de Deus que a pessoa chega ao conhecimento espiritual? Não necessariamente, mas, ao repetir uma determinada coisa você esquece de si mesmo. Esquecendo de si você está se esquecendo do falso ser, e no esquecer o falso ser é que reside o segredo da Realização espiritual. Além da Realização espiritual, mesmo o segredo das grandes obras de músicos e poetas foi que eles esqueceram de si em seu trabalho. Para dar vida a algo a pessoa tem que fazer um sacrifício, e na Realização espiritual é pelo sacrifício do falso ser que ela chega ao Ser real (que lembra do Si mesmo Real). Há muitos que têm medo e dizem: 'Se perdermos a nós mesmos, o que ganharemos? É apenas uma perda!' Não é perder o seu verdadeiro Ser, mas a falsa concepção de si mesmo. É como uma pessoa que está sonhando. Ela está tão interessada no sonho que, se alguém vem acordá-la, ela diz: "Não, não, deixe-me dormir". Ela esquece que acordar será uma outra experiência, o seu grande interesse está no sonho. Assim é com algumas pessoas, elas têm medo de perder a si mesmas e se esquecem que é apenas a falsa concepção de si mesmas que perdem.
Ao imaginar o ideal espiritual muitas pessoas ficam com muito medo, como alguém que fica com medo no topo de uma montanha alta quando olha ao redor o imenso espaço. Isso lhes dá medo porque sempre viram horizontes estreitos. O horizonte amplo tem um efeito que lhes dá um choque. É o mesmo com aqueles que estão acostumados com a falsa concepção do ser. A melhor maneira de perder a si mesmo é pela repetição de uma determinada palavra sagrada que nos faz perder progressivamente a concepção do falso ser, expressando ao mesmo tempo a idéia do Ser real - uma base sobre a qual a vida será construída para sempre e para a eternidade.

2 comentários:

Celito Albuquerque disse...

Eu precisava encontrar algo assim. Desde muito novo tenho sustentado que a repetição é uma força poderosa. Badeio-me principalmente em Emile Coué e Joseph Murphy. Mas há uma idéia errada não só no meio protestante.Também os educadores de forma geral consideram toda repetição mera "decoreba", palavra hoje carregada de sentido negativo.No entanto, foi por repetir muito as seis principais operações matemáticas, que as executo tão bem. E onde não repeti, sou bem fraquinho. Resumindo, conhecer este portal foi uma bênção!

rubensbc2008 disse...

Essa matéria profunda e escrita com tanta simplicidade foi muito útil para mim. Sou muito grato pelos ensinamentos.