sexta-feira, 1 de julho de 2016

Hazrat Inayat Khan - O Conhecimento sublime e a eliminação dos entraves no caminho da vida


Queridos de Deus, vou falar hoje sobre o resultado que é alcançado através do conhecimento sublime. Em primeiro lugar, o resultado da realização espiritual é tão vasto e grande que as palavras jamais poderão explicar. Isso pelo fato que o que as palavras podem explicar é limitado, é aprendido ou ensinado, comprado ou vendido, e aquilo que não pode ser aprendido ou ensinado e que não pode ser comprado ou vendido é algo superior, ou que não pode ser colocado em palavras. Mas, a primeira coisa que você começa a ver em si mesmo é que pensamentos tais como "Não posso" ou "É impossível" ou "Estou desamparado" ou isso "não pode ser feito", deixam de existir. Naturalmente, a alma torna-se positiva. Ela diz, "Se é difícil, hoje, amanhã será fácil," "Se não pode ser feito exatamente agora, mais tarde poderá ser feito." Esse otimismo vem não só na imaginação, mas brota do espírito; sua raiz está no espírito e fortalece o homem imensamente para realizar as coisas. O medo da morte que cada pessoa tem, em maior ou menos grau, desaparece e assim não há nenhuma outra coisa que irá assustar a pessoa, pois essa é a coisa que mais assusta a todos. Muitos dizem: "Não tenho medo de morte", mas não irão continuar a dizer isso quando a morte estiver diante deles. Uma história que é ensinada na Índia, conta que um lenhador costumava dizer em seus momentos de auto-piedade, depois de ter trabalhado o dia todo, "Oh, que vida! Que vida terrível, ter que trabalhar o dia todo no sol quente cortando madeira; eu preferia estar morto." E às vezes ele costumava dizer, "Ó morte, por que você não vem? Prefiro morrer do que viver esta vida." E um dia a morte se penalisou com seus apelos e apareceu diante dele. E no momento em que olhou para a morte, ele ficou tão apavorado que começou a implorar-lhe para deixá-lo por mais algum tempo neste mundo, que ele nunca invocaria o nome dela novamente, que ele gostaria muito de viver uns dias mais ainda na terra. Assim é com todos. Eles chamam a morte quando a morte não está presente, mas quando a morte chega, então ficam apavorados.
É a alma espiritual que, como resultado da realização espiritual, começa a estabelecer-se acima de todo o medo. Como disse Ali: "o medo já não permanece no coração das pessoas espirituais." Pois o medo é como a escuridão e a iluminação é a luz. Quando a iluminação vem, a obscuridade desaparece. A pessoa que chega à realização espiritual deixa de ter dúvidas. E sem a realização espiritual, por mais inteligente que o homem possa ser, ele ainda tem dúvidas. E muitas vezes, quanto mais inteligente uma pessoa, mais dúvidas ela terá. E você irá perceber entre os mais inteligentes, que eles não podem tomar uma decisão. Eles não podem decidir por si, porque eles duvidam. E a dúvida é a decadência que destrói cada ação. Há apenas uma coisa que eleva-se acima das dúvidas e que não é crença mas sim convicção. E essa convicção vem pela realização espiritual. Muitas vezes você verá um homem mais sábio, que estudou vários livros e que é mais inteligente, dizer, "Eu suponho que seja assim" ou "Pode ser assim" ou "Existe essa possibilidade." O místico nunca diz isso. O místico diz, "É assim". Existe uma convicção. É a realização espiritual que dá a convicção para a pessoa. Os profetas e os sábios por acaso disseram, "pode haver uma outra vida, pode haver uma alma," ou "Talvez haja um dia do juízo final", ou "Talvez haja um Deus"? Não, eles disseram, "É assim". Não é apenas que eles disseram, é que eles sabiam. Além disso, a alma começa a ver um caminho para a imortalidade, e, portanto, não duvida e nem teme. Ela olha de coração aberto para o que está por vir. 
A Realização espiritual também torna a visão penetrante. Em outras palavras, diante dos olhos da pessoa espiritual os objetos e as pessoas mostram-se mais profundamente. Eles revelam a sua natureza, caráter e segredo.
É como um químico experiente; qualquer composto, tudo o que existe no seu campo de trabalho ele sabe como utilizar, sabe como fazer os remédios, como prescrevê-los. Do mesmo modo, perante uma alma espiritual todos se apresentam com o registro da sua natureza e caráter, juntamente com o seu passado, presente e futuro. 
Cada pessoa é como uma carta escrita. Mas uma carta não é uma boa comparação, pois uma carta está morta; aqui é algo vivo, algo mais comunicativo, revelador. Uma carta pode revelar muito pouco, mas uma pessoa revela milhares de vezes mais. Tudo o que as palavras jamais podem expressar é confidenciado para a alma espiritual num piscar de olhos. Muitas vezes as pessoas são iludidas pela grande compaixão, pela graciosidade, fineza e a santidade de uma alma espiritual. Mas em sua negatividade, eles vêem nisso falta de energia, mas não é realmente assim. Pelo contrário. Mesmo por detrás desse refinamento, dessa santidade e essência, por trás dessa atitude simpática e compassiva, um grande poder está oculto, um poder de resistência, um poder de realização. Só que eles não usam todos os seus poderes. Quanto maior você é, quanto mais espiritual você é, menos você usa seus poderes. Por exemplo, é como uma alma de criança e a alma amadurecida. Se você der dinheiro na mão de uma alma infantil e essa pessoa irá em lojas e diferentes lugares e irá comprar tudo que lhe atrair e irá gastar esse dinheiro e em pouco tempo ficará sem nada. Já uma alma amadurecida que possuir a mesma quantia, vai usá-lo mais devagar, de forma mais inteligente e fará melhor uso dele, irá proporcionar  felicidade para si mesma e para os outros através disso. Da mesma forma, a pessoa espiritual também não faz uso de sua inspiração, nem de seu poder em qualquer coisa mundana pequena. Ela é mais econômica do que se o mesmo poder, ou um centésimo desse poder, estivesse nas mãos de uma alma não refinada.
Por exemplo, uma pessoa que soubesse sobre todos os seus arredores e ainda se mantivesse presa a coisas pequenas e ficasse falando sobre tudo o que visse com todo mundo, estaria abusando daquele insight. E todo mundo faz essa mesma coisa. As pessoas são muito curiosas em saber sobre a vida dos outros. Elas se importam muito pouco em saber sobre si mesmas. E se algo de ruim é falado de alguém, todos gostam de ouvir, mas se algo de bom é falado as pessoas duvidam, porque acham que não há tal coisa como bondade. Essa é a natureza humana. Portanto, a pequeneza de natureza é a primeira coisa que deve ser sacudida, que a pessoa tem que se livrar. 
Quando a pessoa se eleva moralmente e se eleva acima dessa tendência de especular sobre a vida dos outros sem ter nada a ver com isso, pára de ficar falando sobre os outros, formando opiniões sobre as pessoas, quando tudo isso é abandonado, ela se eleva e torne-se eleita à realização espiritual. 
E se uma pessoa vier a ter algum poder e for infantil o suficiente para usá-lo, seja para fazer coisas mirabolantes ou para realizar coisas de natureza mundana do dia a dia, ela estará abusando do poder espiritual também. 
Outro dia uma cientista me perguntou se havia alguma forma de levantar uma caneta que estava na mesa através do  magnetismo espiritual. Eu disse, "nada é impossível para um místico. Mas por que perder tempo com levantar canetas, onde existem tantos seres humanos para serem erguidos mais alto? Isso traria um resultado muito melhor do que levantar uma caneta."
O que as pessoas desejam hoje em dia é obter insight espiritual e poder usá-lo para sua vantagem material. Elas acham que, "se isso pode tornar nossas coisas mundanas mais rentáveis, vale a pena conquistar." É como usar pérolas para comprar seixos. Portanto, não pode comprar boas pérolas e não pode pagar seixos. Seria melhor pagar os seixos com moedas de um centavo do que gastar pérolas espirituais com seixos. O que um negócio e uma atividade e todas as outras coisas requerem é esforço, perseverança, qualificação e trabalho inteligente. Se você fizer assim, você será bem sucedido. Mas achar que a realização espiritual deve ser apenas para trazer sucesso mundano é um objetivo muito pequeno de ser realizado. A Realização espiritual é o sucesso em si.
Todas as coisas vêm para a pessoa. Se for um homem de negócios, ele estará fadado a ser mais bem sucedido. Mas ele não deve tentar alcançar a espiritualidade para ter sucesso nos negócios. A ênfase deve ser na realização espiritual, as outras coisas são atraídas naturalmente. Mas por outro lado um homem de negócios pode ser bem sucedido sem a espiritualidade. Existem muitos que são muito bem sucedidos. A espiritualidade não deve ser usada ou não deve ser atingida com qualquer outra intenção, deve ser respeitada para fins espirituais. Outras coisas devem estar atrás. Como o Cristo afirmou, "buscai primeiro o Reino do céu e todas estas coisas vos serão acrescentadas." Portanto, em todas as profissões, seja um escritor, um poeta, um industriário, um político, um inventor ou em qualquer outra profissão, a realização espiritual sempre ajudará em todas as direções. Mas não deve ser alcançada porque você deseja ser bem sucedido em uma determinada direção, não porque queria ajuda em algo mais. Porque isso torna o percurso mais longo; depois leva um tempo ainda maior. Além disso, a realização espiritual é o sucesso em si, não há nenhum sucesso maior do que a realização espiritual porque é o sucesso mais elevado, um sucesso que se reflete em tudo o que você faz e traz resultados frutíferos.
Portanto, os antigos chamaram-lhe de a pedra filosofal, o que quer que seja que a pedra filosofal toque, se transforma em ouro, seja de aço, ferro, cobre ou bronze. Em outras palavras, qualquer coisa que o coração da pessoa espiritual toca, transforma-se em vida. 
Moralmente, uma pessoa que tenha atingido a espiritualidade não necessita cultivar simpatia, pois a simpatia vem naturalmente por uma questão de curso natural. Uma pessoa espiritual não pode ser de outro jeito senão simpática. É uma contínua efusão de amor que se manifesta pela realização espiritual. Esse amor flui tanto para o sábio como para o tolo, para os bons e para os maus, como o perdão de Cristo estava sempre pronto para os ímpios, seu afeto sempre para o bem.
É o amor manifestando-se em diferentes aspectos, como compaixão, perdão, bondade, graciosidade, como afeto, simpatia, é a mesma coisa. E no final uma pessoa espiritual não vê em outra pessoa uma entidade separada. Sua realização lhe faz sentir, "Sou eu mesmo". Portanto, ela não pode errar com a outra pessoa, uma vez que começa a ver a outra pessoa como ela mesma. E ninguém no mundo parece-lhe diferente e distinto de si mesma, ela vê neles os vários aspectos do seu próprio ser. É desta forma que a alma espiritual se expande e alcança a perfeição.
Deus abençoe. 


5 comentários:

Ander disse...

Excelente...

Anônimo disse...

Muito bom! é uma alegria ver novos posts. Obrigado.

Luiz Weydt disse...

otimo amigo... justamente esses dias me veio um insight parecido ao dele, ao perceber conversando com um amigo, que o que mais atrapalha o ambiente entre diferentes pessoas é o cuidar da vida alheia, se perde muito tempo e energia com essa funcao em vez de focar apenas no 'si mesmo'.

Anônimo disse...

Muito bom!
Só gostaria de saber como se chega a essa realização espiritual que ele fala, qual meio ele usou ou que devemos usar?

Ander disse...

Anônimo,

Acredito que a resposta esteja bem no final do texto. É o amor que tudo permeia.
O Luiz falou algo bem do cotidiano: falar da vida alheia. Isso consome muito. Se voce parar e prestar bem atencao, vai ver sempre ao redor alguem falando de alguem. Pratico essa questao de nao falar da vida alheia, ficar o mais quieto possivel. Afinal, ao cuidar de nós, estamos cuidando daquilo que está ao nosso alcance e além. Há muito trabalho a ser feito para ir refinando o Ser.

Abraço